Jabuti muda de novo e homenageia Conceição Evaristo

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on reddit
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on print
Share on facebook

Depois de uma edição marcada por polêmicas envolvendo uma mudança drástica no regulamento do mais tradicional prêmio do mercado editorial brasileiro e um embate, que foi para o lado pessoal, entre o então curador Luiz Armando Bagolin, que acabou renunciando, e pessoas do mercado descontentes com as alterações, o Prêmio Jabuti anunciou novas mudanças para a 61.ª edição.

A principal alteração foi separação das categorias Infantil e Juvenil, que haviam sido unidas no ano passado – decisão muito criticada. Outra mudança anunciada agora é que livros de reportagem de documentário passam a integrar a categoria Biografia, e não mais Humanidades, que era muito ampla. Ou seja, agora eles têm mais chance de ganharem.

A categoria Tradução sai do eixo Literatura e passa a ser encarada como uma área técnica ao ser incluída no eixo Livro. Assim, ela perde a oportunidade de concorrer ao Livro do Ano no Prêmio Jabuti.

Coletâneas inéditas compostas por textos não inéditos devem ser inscritas, agora, em categorias que compõem o eixo Livro (capa, ilustração, impressão, projeto gráfico, etc.).

Criada no ano passado, a categoria Formação de Novos Leitores é ampliada e passa a abarcar iniciativas, de instituições diversas e até de editoras, que promovam a leitura.

Em outubro, o Jabuti revela os dez finalistas de cada uma das categorias. Cerca de 15 dias depois, e isso também é uma novidade, os organizadores revelam os cinco finalistas. Só no dia da premiação, em novembro, é que o vencedor será anunciado.

O valor dos prêmios é o mesmo do ano passado. O autor do melhor livro de cada categoria ganha R$ 5 mil e o troféu do Jabuti. O vencedor do Livro do Ano, escolhido entre os premiados das categorias dos eixos Literatura e Ensaios, ganha R$ 100 mil. Em 2018, quem ganhou foi Mailson Furtado, que autopublicou seu livro.

No ano passado, o Prêmio Jabuti recebeu a inscrição de 1.963 obras, o que representou uma redução de 15% em relação ao ano anterior, segundo os organizadores. Vale lembrar que entre 2017 e 2018 o número de categorias caiu de 29 para 18. Agora, elas são 19.

O curador do Jabuti 2019 é o editor Pedro Almeida. O conselho curador é formado por Mariana Mendes, Camile Mendrot, Cassius Medauar e Marcos Marcionilo.

Homenagem

A escritora mineira Conceição Evaristo, de 74 anos, foi escolhida como Personalidade Literária do Prêmio Jabuti. A ideia de anunciar seu nome com uma antecedência maior do que a dos outros anos é que isso motive editoras a relançar obras esgotadas, se for o caso, e para que elas possam trabalhar melhor seus livros.

Iniciar chat
Precisa de ajuda?
Olá bem-vindo ao Jabuti muda de novo e homenageia Conceição Evaristo
podemos aqui esclarecer suas dúvidas.